Dehonianos

A Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus foi fundada em 1878, em S.Quintino [norte de França], pelo Padre Léon-Gustave Dehon. A sua experiência de fé – síntese admirável entre a marcante espiritualidade do Coração de Jesus do séc. XIX francês, e a emergente consciência de um compromisso social da Igreja de modo fundamentado, sistematizado e auxiliado pelas ciências humanas e sociais, junto dos mais excluídos – constitui a origem do Instituto e o seu carisma.

Os inícios da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus [Dehonianos] remontam a 28 de Junho de 1878, data em que o padre da Diocese de Soissons, Léon-Gustave Dehon, professa os votos religiosos, assumindo o nome de João do Coração de Jesus Dehon. A denominação inicial – "Oblatos do Coração de Jesus" – muito querida ao Padre João Dehon, por exprimir perfeitamente a sua intenção – converte-se, a partir de 1884, em Sacerdotes do Coração de Jesus, título oficial.

Em 1946, chegaram a Portugal os primeiros Dehonianos da Província Italiana, com o objectivo de implantar a Congregação. Enquanto a Província Italiana procurava um “território missionário”, D. Teodósio de Gouveia, Cardeal Arcebispo de Lourenço Marques (hoje, Maputo), procurava, em Itália, missionários para Moçambique, e um seminário missionário na ilha da Madeira, sua terra natal. Foi assim que chegaram a Lisboa, com destino à Madeira, o P. Ângelo Colombo e o P. Gastão Canova, sem meios e nem planos bem definidos.

Em 75 anos de presença em Portugal, os Dehonianos procuraram responder às necessidades da Igreja, estando presentes, neste momento: na formação de futuros pastores e missionários; como párocos em 32 paróquias; na direcção de 2 escolas e 1 lar de infância e juventude; como professores no ensino básico, secundário e universitário; como assistentes de vários grupos e comunidades; como capelães hospitalares... e onde quer que seja necessária uma presença de “profetas do amor e servidores da reconciliação”.

A Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus foi fundada em 1878, em S.Quintino [norte de França], pelo Padre Léon-Gustave Dehon. A sua experiência de fé – síntese admirável entre a marcante espiritualidade do Coração de Jesus do séc. XIX francês, e a emergente consciência de um compromisso social da Igreja de modo fundamentado, sistematizado e auxiliado pelas ciências humanas e sociais, junto dos mais excluídos – constitui a origem do Instituto e o seu carisma.

Os inícios da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus [Dehonianos] remontam a 28 de Junho de 1878, data em que o padre da Diocese de Soissons, Léon-Gustave Dehon, professa os votos religiosos, assumindo o nome de João do Coração de Jesus Dehon. A denominação inicial – "Oblatos do Coração de Jesus" – muito querida ao Padre João Dehon, por exprimir perfeitamente a sua intenção – converte-se, a partir de 1884, em Sacerdotes do Coração de Jesus, título oficial.

Em 1946, chegaram a Portugal os primeiros Dehonianos da Província Italiana, com o objectivo de implantar a Congregação. Enquanto a Província Italiana procurava um “território missionário”, D. Teodósio de Gouveia, Cardeal Arcebispo de Lourenço Marques (hoje, Maputo), procurava, em Itália, missionários para Moçambique, e um seminário missionário na ilha da Madeira, sua terra natal. Foi assim que chegaram a Lisboa, com destino à Madeira, o P. Ângelo Colombo e o P. Gastão Canova, sem meios e nem planos bem definidos.

Em 75 anos de presença em Portugal, os Dehonianos procuraram responder às necessidades da Igreja, estando presentes, neste momento: na formação de futuros pastores e missionários; como párocos em 32 paróquias; na direcção de 2 escolas e 1 lar de infância e juventude; como professores no ensino básico, secundário e universitário; como assistentes de vários grupos e comunidades; como capelães hospitalares... e onde quer que seja necessária uma presença de “profetas do amor e servidores da reconciliação”.

Eventos

Lamentamos, não existem eventos futuros